Simples existência

Simples existência

Breves passos pelo vento alçados
Vermelho (...)
Amarelo (,)
Verde (!)
Faixas brancas no asfalto
Pensamentos esparsos.

Abandono de esquina,
Arte de rua.
Cheiro de flores,
De cigarro, de escapamento
Gotas ocasionais.
Que simples existência.

Quantas histórias passam
No outro sentido da calçada.
E esta que caminha sem saber
O que é ser história.
Amarelo, verde, azul, vermelho
Reciclável.

Portas automáticas
Elevador, reflexo sem cor,
Sem lembranças suficientes,
Conclusões suficientes.
Um trajeto entre muros
Numa consciência à altura das nuvens
Prestes a desabarem.

Beatriz Teixeira

29/02/2016


Receba atualizações por e-mail

Se tiver interesse em acompanhar o que escrevo, inscreva seu e-mail para receber os textos do Das Palavras.