Resenha: 1989 - Taylor Swift


Olá!

Se você veio aqui esperando uma resenha literária, recomendo que você procure por outras aqui na coluna ao lado, em Resenhas mais recentes. Hoje resolvi fazer a primeira resenha de um álbum aqui no blog, em homenagem a Taylor Swift que completou 25 anos ontem!

Escrevo essa resenha como fã, obviamente não sou crítica nem música profissional. Já ouvi o álbum muitas e muitas vezes, li várias críticas e tirei fotos do meu exemplar para mostrar a vocês. Espero que gostem!

1989 é o quinto álbum de estúdio de Taylor, seu primeiro oficialmente pop, cujo título remete à data de nascimento da cantora. A versão padrão conta com 13 músicas, e a deluxe contém mais três inéditas e três prévias que mostram o início do processo de composição de I Know Places, I Wish You Would e Blank Space. Por enquanto, os dois hits do álbum são Shake it Off e Blank Space.
Então... que tal festejar como se estivéssemos em 1989? - como disse Taylor em seu discurso de agradecimento por ter sido escolhida pela segunda vez pela Billboard como Mulher do Ano.


Começando pela parte gráfica do álbum físico, Taylor pensou em tudo nos mínimos detalhes, como sempre faz. O encarte tem polaroids com trechos das músicas ou com legendas de datas que foram especiais para ela. As letras contém as mensagens secretas que já são tradição em seus álbuns, e dessa vez formam uma historinha. Até mesmo as letras das músicas do deluxe estão presentes, e algo que achei muito prático nessa versão deluxe é que o único CD tem tudo, diferente do Red deluxe, onde as músicas extras ficam em um CD separado.

Mas o melhor de tudo da versão deluxe é que vem com treze polaroids da Taylor, tendo como legenda trechos das músicas. São cinco seleções diferentes, e no meu vieram as fotos 27 à 39:

Apaixonei!

Bem, vamos agora ao mais importante: as músicas!

1. Welcome To New York
Essa música retrata uma das maiores mudanças na vida de Taylor nos últimos dois anos: a mudança para um apartamento em Nova York. Nessa canção animada ela abre o álbum com alegria, como se desse as boas vindas a seu novo estilo de vida e de música. Não é uma das melhores, mas faz uma boa introdução do álbum.
It’s a new soundtrack/I could dance to this beat, beat/Forevermore
É uma nova trilha sonora/Eu poderia dançar nessa batida/Para todo o sempre
2. Blank Space
Taylor explicou que escreveu essa música pensando na versão dela mesma que é divulgada pela mídia: uma namoradeira que vive relacionamentos de contos de fada que logo terminam, ela sofre e compõe uma música vingativa. Para quem a conhece, a letra é bem engraçada, assim como o clipe exagerado. Eu classificaria como divertida.
Got a long list of ex-lovers/They'll tell you I'm insane/But I've got a blank space, baby/And I'll write your name
Tenho uma longa lista de ex-namorados/Eles vão te dizer que sou louca/Mas eu tenho um espaço em branco, baby/E escreverei seu nome.

3. Style
Com um estilo bem anos 80, Taylor canta sobre um relacionamento que vai e volta, que nunca "sai de moda". Nos versos a canção é mais séria, como se ela tentasse decidir o que fazer, e embora saiba que sair com o garoto outra vez não seja boa ideia, não consegue resistir. No refrão ela ganha um ar mais inocente e romântico, que dá todo o charme da música, na minha opinião.
You got that James Dean daydream look in your eye/And I got that red lip classic thing that you like (...) You got that long hair, slicked back, white t-shirt/And I got that good girl faith and a tight little skirt.
Você tem aquele olhar sonhador do James Dean/E eu tenho aqueles clássicos lábios vermelhos que você gosta (...) Você tem aquele cabelo longo penteado para trás, camiseta branca/E eu tenho aquela fé de boa menina e uma curta saia justa.
4. Out Of The Woods
Uma das minhas preferidas do álbum, conta a história de um acontecimento particular da vida de Taylor e é ao mesmo tempo uma metáfora desse relacionamento, no qual ela nunca sabia no que daria no dia seguinte, portanto vivia se perguntando "estamos fora de perigo?", metaforizado por "estamos fora da floresta?". A melodia consegue passar exatamente toda essa expectativa, ansiedade e a intensidade do sentimento. Ótima música, nunca canso de ouvir.
You took a polaroid of us/Then discovered (then discovered)/The rest of the world was black and white/But we were in screaming color.
Você tirou uma polaroid nossa/Depois descobriu/Que o resto do mundo era preto e branco/Mas nós estávamos em cores vivas. 
5. All You Had To Do Was Stay
A inspiração para essa música foi um sonho, no qual Taylor tentava falar com alguém que era importante para ela e a única palavra que saía de sua boca era "stay". É sobre alguém que foi embora, como se ignorasse o amor dela, e depois quis voltar, mas ela diz que tudo o que ele precisava ter feito era ficar, e pessoas como ela não voltam mais quando dizem adeus. É uma música simples, eu diria, e muito sincera, porém não se destaca muito entre as outras faixas do álbum.
People like you always want back/The love they pushed aside/And people like me are gone forever when you say goodbye.
Pessoas como você sempre querem de volta/O amor que deixaram de lado/E pessoas como eu não voltam mais quando você diz adeus.
6. Shake It Off
Foi o primeiro single do álbum, com uma mensagem que Taylor deixa bem clara para os haters: ela não está ligando para as mentiras que falam sobre ela. É um pop animado e divertido, assim como o clipe, onde ela não se encaixa em lugar nenhum mas está deixando para lá e feliz em ser ela mesma. Particularmente, gosto muito dela. Inspira felicidade!
But I keep cruising/Can't stop, won't stop moving/It's like I got this music/In my mind, saying it's gonna be alright.
Mas eu sigo em frente/Não posso parar, não vou parar de me mover/É como se eu tivesse essa música/Na minha mente, dizendo que vai ficar tudo bem.

7. I Wish You Would
Essa música é sobre um casal que se separou, e embora ambos sintam falta um do outro, ninguém diz nada: uma se ressente, e o outro acha que ela o odeia. As cenas alternam entre ele e ela, e os pensamentos de queria que você estivesse aqui... É um sentimento muito verdadeiro, com o qual qualquer um pode se relacionar, como é comum em suas músicas. Gosto muito também, acho o ritmo rápido muito apropriado.
I wish you would come back/Wish I'd never hung up the phone like I did/And I wish you knew that/
I will never forget you as long as I live

Queria que você voltasse/Queria que eu nunca tivesse desligado o telefone como eu fiz/E queria que você soubesse que eu nunca te esquecerei enquanto viver.
8. Bad Blood
Provavelmente a música mais ressentida e acusadora do álbum, não é nem mesmo sobre um cara e sim, sobre uma pessoa que Taylor pensou que era sua amiga e acabou ficando contra ela por motivos de concorrência ou algo do tipo. Os rumores indicam que é sobre Katy Perry, mas Taylor nunca divulga nomes, então tudo fica por conta da especulação. Não gostei muito da melodia em si, mas a letra é boa, embora não uma das melhores. Essa é minha faixa menos preferida do álbum.
Band-aids don't fix bullet holes/You say "sorry" just for show/If you live like that, you live with ghosts
Band-aids não consertam buracos de balas/Você pede desculpas só pelo show/Se você assim, vive com fantasmas.
9. Wildest Dreams
O estilo da música lembra muito o da Lana Del Rey, com tambores e a voz no refrão que remete ao surreal, aos sonhos de fato. A letra é sobre um amor que não era exatamente bom ou saudável, mas ao qual Taylor não resistia e que, embora ela soubesse que fosse acabar logo, esperava que ele sempre se lembrasse dela. Ela explicou que essa música retrata sua visão atual do amor. É muito gostosa de ouvir pois apesar dos versos não serem muito do meu gosto, eu amo o refrão de forma que quase posso ver o quadro na minha cabeça.
Say you'll remember me/Standing in a nice dress/Staring at the sunset, babe
Diga que você irá se lembrar de mim/Parada ali com um vestido bonito/Encarando o pôr-do-sol, babe
10. How You Get The Girl
Uma das minhas preferidas, é a que mais se parece com o estilo de sempre da Taylor, realçado pelo violão. Tem um ritmo pop bem legal, e a letra é um manual para reconquistá-la. Tem um ar mais juvenil do que o resto do CD, eu diria.
And then you say/I want you for worse or for better/I would wait for ever and ever
Então você diz/Eu quero você para o pior ou para o melhor/Eu esperaria para todo o sempre
11. This Love
This Love é uma música lenta e... maravilhosa. Daquelas que te obriga a parar para ouvi-la e prestar atenção na letra. A ideia é mais ou menos aquela de que quando você deixa aquilo que é realmente seu ir embora, ele volta. É sobre um amor que foi difícil libertar, mas voltou. Tem várias vozes rolando ao mesmo tempo, a letra mostra todo o potencial de Taylor como compositora e a melodia toca o fundo do meu coração. Ao mesmo tempo, é diferente de todas as músicas desse tipo que Taylor já fez. Não preciso nem dizer que é uma de minhas preferidas.
This love left a permanent mark/This love is glowing in the dark/These hands had to let it go free/And this love came back to me.
Esse amor deixou uma marca permanente/Esse amor está brilhando no escuro/Essas mãos tiveram de libertá-lo/E esse amor voltou para mim.
12. I Know Places
Uma melodia com um tom misterioso, ilustrando bem a "fuga" descrita na letra. Taylor afirma que conhece lugares onde podem se esconder... Da mídia, de todos que querem assistir sua vida amorosa. É bem legal, mas a crítica em geral não a destaca.
They are the hunters, we are the foxes/And we run.
Eles são os caçadores, nós somos as raposas/E nós corremos.
13. Clean
Outra composição incrível, na minha opinião. Encerra a versão padrão do álbum, mostrando todo o amadurecimento e mudança na vida de Taylor. Acho emocionante e completa, então... outra preferida. Vale lembrar que Taylor a compôs junto com a Imogen Heap, e foi uma ótima colaboração!
Rain came pouring down/When I was drowning, that's when I could finally breathe
A chuva caiu bem forte/Quando eu estava me afogando, foi quando finalmente pude respirar.
14. Wonderland
A referência à Alice no País das Maravilhas é a primeira qualidade da música. Depois vem as batidas fortes do pré-refrão e refrão, que de fato fazem a cena parecer uma loucura. A letra é o desenvolvimento de um relacionamento que começa bem, apaixonadamente, chega a seu auge e vai decaindo, acabando mal. Daria um clipe muito legal. Bem, eu realmente gosto dessa música, mas prefiro não ouvir repetidamente.
We found wonderland/You and I got lost in it/And we pretended it could last forever.
Nós encontramos o país das maravilhas/Você e eu nos perdemos nele/E fingimos que podia durar para sempre.
15. You R In Love
Sei que já disse isso de muitas músicas, mas... também sou apaixonada por essa. Foi inspirada no relacionamento de amigos da Taylor, como se vê pelo uso da segunda pessoa em toda a música, a não ser quando ela diz "Agora você entende (...) porque eu gastei toda a minha vida tentando colocar isso em palavras", o que é totalmente coerente. É um relacionamento que começa dos pequenos gestos, vira amor e continua bem. A melodia lembra os anos 80, também, época em que Taylor se inspirou para o álbum. É quase recitada, como uma poesia, com um ritmo pausado, que dá um encanto especial à música. Bem o contrário de Wonderland, eu diria.
You can hear it in the silence, the silence/You can feel it on the way home, way home/You can see it with the lights out, lights out/You are in love, true love.
Você pode ouvi-lo no silêncio, no silêncio/Você pode senti-lo no caminho para casa, para casa/Você pode vê-lo com as luzes apagadas/Você está apaixonada, amor verdadeiro.
16. New Romantics
Encerra o álbum com uma mensagem que é algo do tipo... Taylor continua sendo a romântica de sempre, mas sem ser boba ou ingênua, e bem capaz de ser feliz solteira. Depois de ouvir algumas vezes, amei. O estilo segue o padrão pop anos 80 que mencionei. Aliás, essa é uma das características que diferencia 1989 dos outros álbuns pop atuais, e que fez de Taylor a salvadora da indústria musical de 2014.
Heartbreak is the national anthem/We sing it proudly/We're too busy dancing/To get knocked off our feet/Baby were the new romantics/The best people in life are free.
Coração partido é o hino nacional/Nós o cantamos com orgulho/Estamos ocupados demais dançando/Para sermos derrubados/Baby, nós somos novos românticos/As melhores pessoas na vida são livres.
1989 foi composto e produzido por Taylor juntamente com Max Martin e Shellback principalmente, entre outras colaborações. O resultado disso... eu amei!

Espero que tenham gostado! Deixem suas opiniões nos comentários!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários com palavras inadequadas ou ofensivas serão deletadas.

© Minhas Leituras - 2010-2016. Todos os direitos reservados. Blog e layout por Beatriz Teixeira. Desenho do cabeçalho: Gisele Dias.

Tecnologia do Blogger.
imagem-logo