Razão e Sensibilidade - Jane Austen

Mais uma resenha sensível e racional - piscadinha - da genial e maravilhosa Jane Austen!




Sinopse:
Este romance concentra sua narrativa nas idílicas tramas de amor e desilusão em que duas belas irmãs inglesas se envolvem - Elinor e Marianne Dashwood - quando chega a idade do casamento. À procura do amor verdadeiro, as filhas órfãs de uma família pertencente à pequena nobreza enfrentam o mundo repleto de interesses e intrigas da alta aristocracia. Marianne e Elinor representam polos opostos do universo ético de Austen - enquanto Marianne é romântica, musical e dada a rompantes de espontaneidade, Elinor é a encarnação da prudência e do decoro.
Skoob

Primeira edição
Opinião:
Razão e Sensibilidade é um perfeito exemplo de todas as relações sociais: desde o afeto entre irmãos (no caso, irmãs), amizade verdadeira ou por interesse, bajulação, a futilidade e desprezo entre classes diferentes, casamento por interesse ou por amor, etc.. Jane Austen é conhecida por seu perspicaz conhecimento da natureza humana que é retratado em seus livros, e sua escrita sutil, leve e muitas vezes sarcástica me deixa encantada e só contribui para nos envolver na história. Esse livro é a perfeita pintura de tudo isso ao mesmo tempo e fez com que eu sentisse a plena satisfação que um bom livro proporciona ao fim da leitura.
 “Não tenho medo de mostrar meus sentimentos e de fazer coisas imprudentes, pois acredito que o que não se mostra, não se sente. Coisa que talvez surpreenda muito a você, pois os seus sentimentos são tão guardados que parecem não existir realmente.” - Marianne Dashwood
Como a sinopse deixa claro, Marianne e Elinor Dashwood são opostas: a primeira é a sensibilidade e a segunda, a razão. Mas é assim que elas se complementam, enquanto Elinor incentiva a irmã a ser mais prudente e lhe apoia em todos os momentos de entrega à dor, Marianne se dedica a ajudá-la a admitir o amor. As duas, mais a irmã mais nova Margaret e a mãe, são uma família de classe mais baixa. Dia após dia, surgem novos conflitos em suas vidas, sejam emocionais ou físicos, o que torna a narrativa tão interessante e rápida. Para mim, ficou ainda melhor quando Marianne e Elinor foram para Londres.
Cada um dos outros personagens é essencial para a genialidade da obra: Willoughby, por quem Marianne rapidamente se apaixona, o bondoso coronel Brandon, as irmãs Steele, a bem intencionada mas exagerada sra. Jennings, e os mais secundários.
A narração da vida cotidiana dos personagens, presente em todos os livros de Jane Austen, é o que cria a atmosfera de familiaridade com o leitor, embora seja o cotidiano do séc. XIX, bem diferente de nossa época atual. Afinal, as mesmas personalidades, boas e ruins, ainda existem e continuarão a existir. Essa intimidade com os personagens acaba deixando saudade quando você fecha o livro, principalmente se você se identifica com um deles, como eu vi muito de mim em Elinor.
O final pode não ter sido plenamente satisfatório para os mais românticos, mas mostra uma grande evolução dos personagens, de Marianne em especial.
Enfim, meu amor por Jane Austen só aumenta! Esse livro é um de meus preferidos dela até agora.

Nota: 10,00

Ficha técnica:

Título: Razão e Sensibilidade

Autora: Jane Austen

Editoras: Martin Claret (minha edição - 3 em 1), L&PM, Penguin

Nº de págs.: 232






Fãs de Jane Austen ou não, por favor comentem o que acharam do livro ou da resenha, se querem ler, etc., porque sinceramente eu só preciso falar sobre livros!

Minhas outras resenhas de obras da Jane:
Orgulho e Preconceito
Emma
Resenha de Persuasão em breve!