A Seleção - Kiera Cass

"Maxon, espero que encontre uma pessoa sem a qual não possa viver. Espero muito. E desejo que nunca precise saber como é tentar viver sem ela." - A Seleção.

Olá mais uma vez, leitores queridos do meu coração! (Não, não estou exagerando, eu realmente amo vocês tanto assim!). Agosto foi um mês em que eu li uma trilogia inteira (A Seleção) e mais outro livro, porém não resenhei nenhum desses livros até agora. Portanto, resolvi começar pela trilogia já que muita gente está interessada por ela.

Começaremos, portanto, com a introdução da série que vem encantando muitos adolescentes ultimamente, uma distopia que apresenta a América do Norte do futuro, agora chamada de Illéa, uma única nação, dividida em oito castas e governada por uma monarquia. Na família real, mais um príncipe chegou à idade de escolher sua esposa, que virá a governar a seu lado quando tornar-se rei, e seguindo a tradição da monarquia de Illéa, trinta e cinco garotas de toda a nação, de todas as castas, serão selecionadas para conhecer o adorável príncipe Maxon e fazer o possível para conquistar seu coração. Assim, inicia-se A Seleção, romance que contrasta a realeza e as demais classes sociais, diferentes temperamentos humanos, a dúvida e, principalmente, a batalha travada nos corações.

Sinopse:
Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.
Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.
***

America Singer, a protagonista do livro, nos é apresentada imediatamente no início do livro, afinal, ela é a narradora personagem. Ela recebeu a carta enviada para todas as jovens de Illéa, com o relatório que deve ser preenchido caso a moça queira participar da Seleção. Para a maioria, provavelmente não há dúvidas sobre isso. A Seleção é a oportunidade de virar Um, ser da realeza, ter o melhor nível de vida possível, ganhar uma coroa e... Conquistar o coração do belo príncipe Maxon.
Porém, America já tem sua vida planejada. Ela é uma garota da casta Cinco, os artistas e músicos, trabalha tocando e cantando em festas de pessoas que geralmente são de castas acima da dela. Ama seu trabalho, sua família e seu namorado secreto, Aspen. Ele é da casta Seis, principal motivo de seu namoro ser secreto, trabalha duro para sustentar a família e ama America. Os dois têm tanta certeza de seu futuro juntos que nunca houve motivos para temerem que algo pudesse separá-los. Porém, a garota tem a oportunidade de participar da Seleção e sua mãe a pressiona, desejando para a filha e para toda a família um futuro melhor. Afinal, o simples de fato de ser uma das selecionadas já eleva-os para a casta Três. Aspen também pede a America para se inscrever, querendo vê-la sempre melhor do que já está, mesmo que isso signifique que possa perdê-la. Depois dele e da família tanto insistirem, ela acaba se inscrevendo, certa de que não será escolhida.
Entretanto, ela é obviamente escolhida para disputar com outras trinta e quatro garotas de todo o reino pelo coração do príncipe. Justo ela, que tinha sua vida planejada, por mais que soubesse que dificilmente subiria de casta; ela, que amava Aspen; ela, que nunca tivera o menor interesse por Maxon. De repente, America é envolvida em uma aventura supervisionada por câmeras, fama, luxo, vestidos, garotas amigáveis e outras terríveis, e tempo indeterminado longe da família e de seu amor. 
Logo, ela conhece o príncipe, que acaba sendo mais do que ela esperava. Além de bonito, é gentil e engraçado, revelando ser mais bondoso do que o rei. Maxon de cara gosta de America, por mais que ela insista em ser apenas sua amiga, pois ainda está apaixonada por Aspen.
Ao longo da narrativa, ela vai conhecendo melhor o príncipe e afeiçoando-se a ele, apaixonada ou não, fazendo amizade com algumas das outras meninas, como Marlee, e suas criadas, e vivendo uma situação que ela nunca imaginara ser tão confortável, principalmente por ser uma Cinco. Por outro lado, ela tem que conviver com garotas que a veem apenas como inimiga, e descobre que os ataques rebeldes que vinham acontecendo nos últimos tempos ao palácio são mais frequentes do que os cidadãos saibam, presenciando alguns. Assim, entre encantos e desencantos America ganha uma nova perspectiva do futuro que pode ter.
***

Achei o livro bom, no geral, embora não tenha superado minhas expectativas. A narrativa é centrada principalmente no romance e nas dúvidas de America, que é uma personagem divertida: engraçada, sensível, talentosa e amigável. Apesar de hesitante em andar na elegância do palácio, que contrasta com a casinha que dividia com os pais e irmãos em Carolina, ela consegue superar e acostumar-se bem à qualquer situação. Ela não se subestima nem se coloca acima dos outros, dá para notar sua simplicidade e beleza enquanto ela narra sua história. Sua relação com Maxon certamente não começa da maneira que deveria, ela já tinha sua opinião errada formada sobre ele e acabou se enganando. Obviamente, ela se arrepende e se desculpa com ele, que é compreensivo e está disposto a fazer o que puder para que ela se sinta bem no palácio.
Mas são exatamente os comportamentos inesperados de America que cativam Maxon. O príncipe está nervoso, ansioso, com a pressão que está vivendo para escolher a futura esposa entre tantas garotas. Além disso, ele continua sofrendo o descaso de seu pai, o rei Clarkson, que nunca o leva à sério. Nosso mocinho é também um personagem adorável: bonito, engraçado, compreensivo e bom, apesar de inseguro. É claro o motivo pelo qual todas as garotas são apaixonadas por ele.
Apesar de todas as qualidades de Maxon, desde o início gostei de Aspen tanto quanto America. Entendi sua posição de não conseguir esquecê-lo durante todo o livro, apesar dos encantos do príncipe. Aspen era trabalhador, inteligente e amável, fora sua certeza por dois anos.
Todos os outros personagens são bem trabalhados, pois a narração é ótima. A escrita de Kiera Kass é leve e não deixa nada a desejar, fazendo a leitura ser muito rápida e fluída. Li todos os livros rapidamente. Sobre a história em si, acho que a parte dos rebeldes e a construção da parte distópica poderia ter sido mais especificada e trabalhada. Seria muito interessante se viesse à luz o resto do mundo, não apenas a Seleção, embora a intenção da autora fosse criar um romance, não uma trama de ação.

Bem, minha opinião é basicamente essa: o livro é bom, toda leitura vale a pena, mas não foi tudo o que eu esperava. A verdade é que raramente me apaixono por um livro muito focado em um romance. Mas algo que chamou minha atenção na história foi o contraste entre as classes sociais: realeza, castas mais altas, médias e completamente baixas, que aparecem mais nos próximos livros.

Nota: 7,0

Ficha técnica:
Título: A Seleção
Autora: Kiera Cass
Tradutor: Cristian Clemente
Editora: Seguinte
Nº de págs.: 368
Booktrailer:

Gostaram da resenha? Postarei sobre os próximos livros o mais rápido possível!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários com palavras inadequadas ou ofensivas serão deletadas.

© Minhas Leituras - 2010-2016. Todos os direitos reservados. Blog e layout por Beatriz Teixeira. Desenho do cabeçalho: Gisele Dias.

Tecnologia do Blogger.
imagem-logo