Prólogo de um Cavaleiro Andante

Imagem: olhares.uol.com.br
Prólogo de um Cavaleiro Andante

O cavaleiro olhava a cidade de cima da montanha. Estava sozinho, aliás, sua única companhia era o belo cavalo de lustroso pelo castanho.
A tarde terminava, mergulhando a cidade em sombras enquanto o sol escondia-se nas planícies do horizonte e tingia o céu de púrpura. Jaime, o jovem cavaleiro, era envolvido pelo doce silêncio do entardecer, enquanto pensava em todos os anos que passara naquela cidadezinha, chamada carinhosamente de Villa. Àquela hora, se aquele ainda fosse seu lar, estaria acendendo as lamparinas da casa de seu senhor. Mas agora, Jaime era oficialmente um cavaleiro andante, pois por cinco anos fora treinado para isso. Havia sido naquelas planícies que aprendera a arte da esgrima, a montar como um cavaleiro e a caçar animais pequenos.
Porém, naquele momento, o jovem cavaleiro pensava apenas naquela casinha no extremo sul da Villa, onde aprendera a obedecer ao senhor como faria ao próprio rei e a ser humilde e fiel. A verdade é que entre Jaime e seu senhor formara-se uma relação de pai e filho, e o jovem cavaleiro afeiçoara-se mais ao velho do que a saudade permitia deixar passar de graça. Não, agora a saudade cobrava dele o peso cruel da distância da pessoa que mais o amara no mundo.
Quando o sol finalmente desapareceu ao longe e um manto negro pontilhado de estrelas cobriu a pequena Villa, Jaime acenou um adeus para o brilho das lamparinas abaixo de si e montou seu cavalo, que chamava de Cometa, guiando-o para o Norte, para longe da Villa, montanha abaixo. Ele ia ao encontro do próprio rei, com a carta que provava sua nomeação como cavaleiro, para conquistar seu lugar entre aqueles que protegiam seu reino e realizar o sonho de viver as aventuras de um cavaleiro andante. Jaime galopava em Cometa com o vento bagunçando-lhe os cabelos, pronto para escrever sua própria história.

Beatriz F. T.

P.S.: essa foi uma redação que escrevi para a escola e gostei do resultado, então resolvi postar, agora que está corrigido. Eu estava inspirada no tema de cavaleiros porque estava lendo O Cavaleiro dos Sete Reinos, do qual aliás farei a resenha em breve. Espero que tenham gostado! (fiquem a vontade para comentar, porque, tipo assim, eu ficaria feliz, muito feliz mesmo, se vocês comentassem. Mas vocês que sabem. Tipo, sem pressão. Brincadeira!).