A Menina Que Roubava Livros - Markus Zusak

Odiei as palavras e as amei, e espero tê-las usado direito.
- A Menina Que Roubava Livros

Olá! 
Não postei nada a semana inteira, mas estou organizando os prêmios do concurso, e além disso eu não estava muito inspirada para postar nos últimos dias. 
Tenho outra resenha para postar, mas achei que escrever sobre A Menina Que Roubava Livros não podia esperar. Terminei de ler hoje e preciso urgentemente registrar minha opinião sobre essa obra única e maravilhosa. 

Sinopse:
A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.

Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.

A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto - e raro - de crítica e público.


Minha opinião:
Esse é um daqueles livros maravilhosos que conseguem cativar e emocionar o leitor de forma positiva. A criatividade do enredo e da incomum narradora - a própria Morte - causam um efeito impactante na leitura. A escrita de Markus Zusak não deixa nada a desejar, o livro é cheio de metáforas e comparações muito apropriadas e encantadoras. As personagens são descritas muito bem, de modo que se destacam suas principais características. A descrição dos ambientes também é impecável e nos causa a sensação de estar vivenciando a cena. 
A história de Liesel Meminger, a roubadora de livros, é muito singular e nos traz muitas reflexões e emoções. Mas, acima de tudo, é uma história sobre o poder das palavras, que podem ser usadas tanto para o bem quanto para o mal. Palavras que tanto significaram e mudaram a vida de Liesel. Os livros lhe traziam conforto e um dia ela mesma escreveu a sua história, que veio a ser contada pela própria Morte. A narradora encaixa os fatos perfeitamente, contando várias contando antecipadamente, antes de a história realmente chegar a tal parte.
As palavras desse livro enroscaram-se em meu coração e me embalaram na música do acordeão de Hans Hubermann, gritaram-me Saumensch! como Rosa Hubermann, pintaram em minha mente um sol gotejante e um lutador com cabelos de penas como Max Vandenburg. Palavras da cor de limões como o cabelo de Rudy Steiner. 'Que tal um beijo, Saumensch?'. Belas palavras que me fizeram chorar. E as lágrimas que surgiram em meus olhos, não as sequei, deixei que corressem livremente pela minha face e secassem sozinhas, para que eu pudesse sentir por mais algum tempo o gosto agridoce das palavras.
A Menina Que Roubava Livros merece que eu o releia algum dia, mais de uma vez até, e que eu o compre, já que li emprestado de uma amiga (que leu emprestado de uma amiga dela e depois comprou). Pois a história ficcional de Liesel Meminger, uma roubadora de livros na cruel Alemanha nazista, ficou marcada em meu coração.

A edição da editora Intrínseca é ótima, bem revisada. Amei as páginas e a capa. Também gostei da capa do filme, mas a original tem a essência do livro. Em geral, as capas originais são melhores.

Nota: 10,00

Ficha técnica:
Título: A Menina Que Roubava Livros
Título original: The Book Thief
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Nº de páginas: 478





Trailer do filme:

Vocês já leram ou viram o filme? Eu estou doida para assistir (e acabo de descobrir que está passando aqui na minha cidade!).

5 comentários:

  1. Olá!!

    Estou com vontade de ler esse livro há meses e não consigo :( espero conseguir esse mes ainda!

    Beijinhos ;*
    http://resenhaeoutrascoisas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu amo esse livro e a única coisa que consigo dizer dele é que ele é maravilhoso. Já li há algum tempo e não consigo fazer uma resenha que mostre o quanto ele é maravilhoso para mim, haha. Adorei!

    Bjs, Raquel.

    ResponderExcluir
  3. Já li o livro. Faz bastante tempo. Amei muito. No início eu não curti muito, mas no avançar das páginas, comecei a me interessar pela estória e no final estava chorando, super emocionada!! Gostei bastante do filme também!! Achei que a atriz interpretou Liesel muito bem!! Espero que consiga ver o filme!! Saber o que achou!! Depois coloque a resenha aqui para a gente ver!! ^.^

    Beijinhos
    Mirelle - meumundoemtonspasteis.com

    ResponderExcluir

Atenção:
Comentários com palavras inadequadas ou ofensivas serão deletadas.

© Minhas Leituras - 2010-2017. Todos os direitos reservados. Blog e layout por Beatriz Teixeira. Desenho do cabeçalho: Gisele Dias.

Tecnologia do Blogger.
imagem-logo