Compreensão



Independente das diferenças das convicções de cada um, eu queria muito que todos pensassem no quanto a Páscoa representa algo que todos deveriam colocar em prática no dia a dia: colocar-se no lugar do outro. Todos os dias temos que lidar com diferenças, com pontos de vista extremos e discussões acirradas em que os dois lados estão muito dispostos a gritar sua opinião e pouco a dar ouvidos aos outros. Ou seja, há muitos monólogos, muita gente querendo se impor e poucos dispostos a ouvir. E isso não é só em relação à política e não só nos comentários de textões do facebook. Isso acontece tanto numa esfera mais ampla da sociedade quanto na escola, na sala de aula, nas famílias, etc.. É muito chato quando qualquer coisa, por mais simples que seja, gera discussão porque parte dos envolvidos não consegue ver além de si mesmo. Só exige um pouquinho de compreensão para as coisas serem resolvidas sem alarde. Compreensão para se colocar no lugar do outro não significa concordar com sua posição ou aceitar tudo passivamente. Eu diria que está no princípio do respeito.      Indo um pouco além, também seria muito bom se cada um contribuísse do jeito que pudesse para melhorar o dia a dia das pessoas. Se procurassem mesmo nas pessoas mais diferentes de si algo de bom para acrescentar à própria vida, ao próprio caráter. Expandindo as fronteiras do mundinho que criamos para nós mesmos. É difícil, pra falar a verdade. Mas é bom e muito mais satisfatório do que viver numa bolha particular.

Simples existência

Simples existência

Breves passos pelo vento alçados
Vermelho (...)
Amarelo (,)
Verde (!)
Faixas brancas no asfalto
Pensamentos esparsos.

Abandono de esquina,
Arte de rua.
Cheiro de flores,
De cigarro, de escapamento
Gotas ocasionais.
Que simples existência.

Quantas histórias passam
No outro sentido da calçada.
E esta que caminha sem saber
O que é ser história.
Amarelo, verde, azul, vermelho
Reciclável.

Portas automáticas
Elevador, reflexo sem cor,
Sem lembranças suficientes,
Conclusões suficientes.
Um trajeto entre muros
Numa consciência à altura das nuvens
Prestes a desabarem.

Beatriz Teixeira

29/02/2016


Um retrato do artista quando jovem - James Joyce

Sinopse:
Um retrato do artista quando jovem, romance de estréia do escritor irlandês publicado em 1916, é o despertar intelectual de um dos personagens literários mais célebres. Semi-autobiográfico, o livro conta o processo de transição do jovem Stephen Dedalus para a maturidade e o autoconhecimento. Ele deseja profundamente ser um artista, mas, primeiro, precisa vencer as forças que reprimem sua imaginação - as convenções da Igreja Católica, da escola, da sociedade. Nesta obra, Joyce apresenta o uso sistemático do monólogo interior - desde o primeiro capítulo somos introduzidos na mente de Stephen Dedalus e convidados a acompanhar seus pensamentos, reações e os processos psíquicos de sua consciência. Trata-se de um dos primeiros exemplos da técnica narrativa do fluxo da consciência. Um retrato do artista quando jovem reflete a profunda relação de amor e ódio que o autor manteve durante toda a vida com sua terra natal, Dublin, e com a cultura que o formou. 

Filho amado [Palavras pra guardar #1]


We <3 It

   Oi, gente, como estão?

   Resolvi estrear uma coluna que eu queria muito começar aqui no blog, Palavras pra guardar. Eu sou o tipo de pessoa que gosta de rabiscar citações de livros e trechos de música nos cantos de qualquer papel, e de guardá-los nos arquivos do computador pra ler de vez em quando. Gosto de colecionar palavras, pois no momento certo elas podem ser nossa maior ferramenta. Às vezes uma citação qualquer que li certa vez, o pedaço de uma música, volta à minha mente quando preciso, inspirando coragem e consolo. E acredito na importância de compartilhar algumas palavras assim com as pessoas. Por isso resolvi começar essa coluna, para dividir com vocês tanto as citações quanto minhas reflexões a respeito delas. Aparecerão aqui trechos de livros diversos, de músicas, versículos bíblicos (as mais importantes palavras de nossa vida), entre outras.

© Minhas Leituras - 2010-2016. Todos os direitos reservados. Blog e layout por Beatriz Teixeira. Desenho do cabeçalho: Gisele Dias.

Tecnologia do Blogger.
imagem-logo